#BOLETIM 070 - EDUCAÇÃO VAI PARAR NO RIO DE JANEIRO

 

 

rede municipal de Educação de Niterói aprovou em sua assembleia realizada no dia 7 de maio uma greve de 72 horas, nos próximos dias 13, 14 e 15 de maio com mobilizações e idas às escolas/umei's nesses dois primeiros dias. A próxima assembleia geral do SEPE Niterói será no dia 15 de maio, quinta, às 8:30, em local a confirmar. Existe um indicativo de greve por tempo indeterminado para esta assembleia.

Já a assembleia do SEPE das redes estadual e municipal do Rio de Janeiro, realizada no mesmo dia, aprovou o início da greve por tempo indeterminado para o dia 12 de maio. A ideia é os profissionais da educação divulgarem esta decisão nas escolas nos próximos dias, anteriores ao início da greve, para construir uma greve unitária das duas distintas redes públicas: rede estadual e rede municipal do Rio de Janeiro. A próxima assembleia unificada ocorrerá dia 15 de maio, às 11h, no Clube Municipal, e será seguida por ato unificado no Centro do Rio de Janeiro.
Os grevistas concluíram na assembleia unificada, que os governos estadual e municipal do RJ estão tentando enrolar a categoria. Apostando na desmobilização dos educadores, Pezão e Paes estão descumprindo os acordos; os grupos de trabalho não estão funcionando; vários profissionais continuam dividindo o seu trabalho em mais de uma escola, a certificação volta a ser debatida, turmas continuam sendo fechadas e não há perspectivas de aumento salarial que cubra as perdas dos últimos anos. 
Neste ano de eleição, quando o prefeito tentará construir palanque para o governador e seus aliados do legislativo, a resposta da educação tem que ser unificada! Somente com greve do Município do Rio junto com o Estado se conseguira acabar com o projeto meritocrático de educação. Se os governos estão unidos, os profissionais da educação também estão! 
A vitória do projeto de educação pública, gratuita e de qualidade está condicionada à intensa participação da categoria. É preciso construir comandos de greve locais e geral eleitos em assembleia. Os profissionais que estão dentro das escolas devem ser protagonistas dessa luta!
Veja por que a Educação está lutando:
1- Plano de carreira unificado
2- 20% de aumento já, com paridade para os aposentados
3- Contra a meritocracia
4- Não à privatização da educação
5- Contra o repasse de verbas para empresas, bancos, organizações sociais, fundações
6- Contra a terceirização
7- Aplicação da lei de 1/3 de planejamento extra-classe
8- 30 horas para funcionários administrativos
9- Eleição direta para diretores
10- Uma matrícula uma escola
11- Equiparação salarial entre PEI, P I e P II
12- Reconhecimento do cargo de Cozinheira (o) escolar
13- 15% entre os níveis

 

 

 

  

Sobre nós

Página oficial de Paulo Eduardo Gomes (PSOL - Partido Socialismo e Liberdade).

PEG é reconhecido por sua ética, fiscalização da administração e defesa dos direitos dos cidadãos.

Vereador mais votado em 2012 e segundo em 2016.

.

Buscas no Site

© 2016 Paulo Eduardo Gomes